A Extinção | Crítica

A Extinção/Netflix – Divulgação

O Serviço de Streaming, Netflix tem paulatinamente nos trazido ótimas séries, animações, animes, documentários e filmes com sua marca, seu selo. Com o longa, A Extinção, não é diferente. Parecia ser apenas mais uma trama que relataria uma invasão alienígena, mas consegue surpreender o cinéfilo de carteirinha.

Não se sabe ao certo em que período o filme é desenvolvido, apenas acredita-se que num futuro não muito distante. Os dias pareciam comuns para a humanidade, mas não para Peter (Michael Peña), que sofria com uma insônia terrível, seguida por pesadelos super reais que o faziam acreditar numa iminente invasão extra-terrestre. Logicamente, essa situação traria certo desconforto ao lar, ocasionando problemas entre a sua esposa – Alice (Lizzy Caplan) – e filhas.  Contudo, os sonhos de Peter tornam-se realidade.

O desenvolvimento da trama assemelha-se bastante a série Falling Skies (2011 – 2015), tornando o Sci-Fi um pouco mais possível, mais pé no chão mesmo. E falando sobre a construção do filme, podemos mencionar que ele apresenta um roteiro, uma história intensa, com uma ótima e intrigante reviravolta em sua etapa final. Tornando-o superior a muitos de seu nicho cinematográfico. E o que nos faz pensar sobre o relativismo psicológico da trama, debater num outro momento, tais pontos abordados pelos roteiristas Brad Kane, Eric Heisserer e Spenser Cohen.

Mas, essa intensidade, infelizmente, também deixa algumas marcas negativas, como os frágeis diálogos tão típicos de filmes que seguem essa linha e reincidentes atropelos na direção e execução do longa, comandado por Ben Young. Consecutivamente, comprometem as atuações do atores e o desenvolvimento dos seus respectivos personagens, com exceção do protagonista vivido por Michael Peña.

Para quem for assistir, também não imagine ver ótimos efeitos especiais. Contudo, o filme é ambicioso, de história inteligente, envolvente, que supera as expectativas do público. Faz o homem comum refletir sobre as múltiplas possibilidades debatidas na trama, reafirmando ou não o pensamento do brilhante Stephen Hawking: Três coisas que podem acabar com a humanidade, Inteligência Artificial, Vida Extra-Terrestre e o próprio homem”.

Classificação: 

Disponível na plataforma de Streaming, Netflix.

 

Curta a nossa página no Facebook!!!

Siga nos no Instagram!!!

E continue acessando o nosso Site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *