Missão: Impossível – Efeito Fallout | Crítica

Missão: Impossível – Efeito Fallout/Paramount – Divulgação

Normalmente, filmes extensos, franquias longas cansam ou tendem ao superesgotamento, contudo, neste Missão: Impossível – Efeito Fallout faz acreditarmos na possibilidade e no desejo de uma continuidade.

O sexto filme da franquia entrega o que há de melhor, o tom investigativo acompanhado, recheado por muita ação, deixando o expectador sem tempo o suficiente para respirar entre uma cena ou outra.

Após o roubo do plutônio, uma ameaça nuclear parece cada dia mais real. Vivendo nesse mundo caótico, logo, a Agência MIF – um dos braços do FBI e liderada por Ethan Hunt (Tom Cruise) que também conta com seus companheiros – agentes Hunley (Alec Baldwin), Benji Dunn (Simon Pegg) e Luther Stickell (Ving Rhames) -, pretende evitar o pior.

 Após a queda do Sindicato em Nação Secreta (o quinto filme da franquia, 2015), a organização criminosa se expandiu exponencialmente, e agora, conta com seguidores fanáticos, intitulados por apóstolos – agentes do caos e da desordem. Que concomitantemente, lutam pela soltura do seu líder, Solomon Lane (Sean Harris) – É a primeira vez que vilões voltam à franquia, caracterizando, então, uma leve mudança na roteirização, não mais perdendo tempo apresentando novos personagens, mas aprofundando a relação e outros nomes da trama.

Tom Cruise volta ao papel brilhantemente, vivendo, talvez, a melhor fase do personagem no cinema, um ator que se arrisca nas diversas cenas de ação que não precisa de dublês, que tornam os filmes superiores em realismo. Destaca-se também as boas atuações de Rebecca Ferguson, Sean Harris, Henry Cavill, proporcionando um verdadeiro tom de equilíbrio entre os extremos.

Missão: Impossível – Efeito Fallout também repetiu o diretor do último longo, Christopher McQuarrie, que apoiado a ótima uma produção, execução de cenas, edição e mixagem de som, deram o tempero final ao bem resolvido e sexto filme da franquia. Aguardemos, portanto, os próximos capítulos de Missão: Impossível, ao som da banda norte-americana Limp BizKit, sob o tema clássico de Missão: Impossível (Clayton e Mullen Jr.).

Classificação: 

 

O filme encontra-se em Cartaz nos Cinemas!!!

 

Curta a nossa página no Facebook!!!

Siga nos no Instagram!!!

E continue acessando o nosso Site.

10 Replies to “Missão: Impossível – Efeito Fallout | Crítica”

    1. Dos filmes da franquia, esse é o único que faz menção aos outros, talvez a dificuldade sua de ter acompanhado a história do MI – Fallout, esteja baseada nisso. Mas de qualquer modo, a sua opinião sobre o filme é levada sim por nós… Continue participando dos debates, e não deixe de comentar!!! Att, SiriNerd

      1. Siri só pra constar eu assisti todos os filmes da série Mi kkkkk esse último foi sem dúvida o mais fraco de todos… Bom, mas essa é minha opinião 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *