Fracasso em ‘O Exterminador do Futuro: Gênesis’ fez diretor repensar a carreira

Experiência traumática?! Ao que parece sim… O diretor Alan Taylor quase desistiu de sua carreira como cineasta dado as duras críticas que enfrentou no longa, “O Exterminador do Futuro: Gênesis”, em 2015.

Em entrevista ao THR [via CB], ele disse que “perdeu a vontade de viver como cineasta” após fazer a produção estrelada por Arnold Schwarzenegger. De acordo com Taylor, sua namorada, a artista de storyboad Jane Wu, chegou a aconselhá-lo a não aceitar o trabalho no longa após ler o roteiro.

“Ela disse: você deveria fazer algo que ama, algo que é pessoal para você“, lembrou. “Mas todas as vozes na minha cabeça, e todo o resto das pessoas na minha vida, diziam que eu precisava agarrar essa oportunidade. Quem não ama os dois primeiros filmes [de Exterminador]?”.

Apesar de ser um sucesso comercial, com mais de US$ 440 milhões de bilheteria mundial, Gênesis foi massacrado pela crítica e pelos fãs da franquia. “Eu perdi a vontade de fazer filmes, perdi a vontade de viver como cineasta. Não estou culpando ninguém por isso, mas o processo não foi bom para mim. Saí dele precisando reencontrar a alegria de fazer filmes“, contou Taylor.

Veja também, outras críticas nossas:

Para Taylor, a resposta para este momento de crise foi voltar para Game of Thrones, que lhe rendeu uma indicação ao Emmy em 2018, e se envolver na produção de The Many Saints of Newark, filme-prelúdio de Família Soprano – outra série com a qual ele se envolveu no começo da carreira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *