A Primeira Noite de Crimes (2018) | Crítica

Filme extrapola positivamente a sua própria franquia…

Imaginem você viver num mundo onde as principais instituições sociais encontram-se profundamente deteriorada? O poder judiciário já não mais funciona, não mais julga com a equidade desejada; o poder legislativo mergulhado em vários escândalos morais, que remetem uma intensa desconfiança do seu eleitorado; o executivo afastado ainda mais das castas humildes da população; crise econômica sem precedentes, altas taxas de desemprego, pensou em tudo?

Agora, misturem um ingrediente mágico, um partido com feições conservadoras – New Founding Fathers of America – lança um candidato agradável a esse inferno astral, que promete limpar toda e qualquer corrupção do poder, prender os que compactuaram com esses males, que promete revolucionar o país, tirá-lo do chão que se encontra? Pensou direitinho, a ficção reproduz a realidade, ou apenas copiamos a ficção??? Estamos falando do filme: A Primeira Noite de Crimes, escrito e dirigido por Gerard McMurray.

Num futuro, não muito distante, os Estados Unidos vivem um período conturbado, o que pode ser “ultrapassado” após um experimento social nada incrível, permitir uma onda de violência desmedida, sem culpas, por 12 horas ininterruptas, num dado território. Isso mesmo, você poderia arrancar dinheiro daquele caixa eletrônico perto de sua rua, furtar aquele carro dos sonhos, acertar as contas com aquele seu desafeto e sem sofrer sanções impostas pela lei, 12 horas livres de julgamentos sociais e/ ou criminais. E se você ainda tem dúvidas sobre o assunto, imagine que você é um dos mais humildes e o atual Governo quer pagar para você participar desse experimento, e para cada norma infringida ganhar uma bonificação, agora vai né? Doce engano, nada é perfeito nessa vida. E os nossos personagens sofreram as angustias desse caos instalado.

Com um elenco enxuto, e nada estrelado, “A Primeira Noite de Crimes” não sofre e nem se envaidece pelos personagens trabalhados, apesar de meramente rasos são pontos importantes em todo o conjunto. Mas, o que chama a atenção do longa é o dinamismo de suas cenas, é bem verdade que sem as pompas desejadas, o filme não caduca, não se atem, pelo contrário expande possibilidades, o faz pensar sobre nossas escolhas.

Com momentos de destaque sim no roteiro e direção do filme, Gerard McMurray deixa a sua assinatura no longa, construído com baixo orçamento, mas de bilheteria razoável, A Primeira Noite de Crimes se estabelece a frente de outros três filmes da “franquia”, e este servindo como um olhar ao antes de tudo. Prepare a pipoca e assista o longa, não será tempo perdido.

Classificação: 

A Primeira Noite de Crimes encontra-se em Cartaz nas telonas!!!

O que vocês acharam dessa crítica??? Deixem os seus comentários logo abaixo…

 

Curta a nossa página no Facebook!!!

Siga-nos no Instagram e no Twitter !!!

E continue acessando o nosso Site.

One Reply to “A Primeira Noite de Crimes (2018) | Crítica”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *