Depois de muito clamor dos fãs de League of Legends a Riot Games, em parceria com a Netflix, decidiu nos agraciar com uma série de origem de duas personagens extremamente complexas e que sempre deixou no ar sua ligação de “sangue”. Estamos falando de Arcane, série original lançada esse mês (novembro) na plataforma e que meus amigos, como ela marcou. Veja um trailer abaixo do que prometeu essa série antes do lançamento:

E vamos a crítica… Bem prefiro dizer vamos aos elogios, pois não existe muita coisa a se criticar nesse caso. A começar pelo estilo da animação, bem acertada e que lembra muito os curtas que vez ou outra víamos nos canais oficiais da Riot no YouTube, buscando um ponto de origem de vários personagens e adaptando tudo o que vimos nos jogos claro que parte da lore (história) do jogo  teve que ter alterações suaves, o que vamos falar mais a frente, porque esse parágrafo é pra falar apenas do traço da animação, um 3D cartunesco que me fez lembrar uma outra obra, feita pela Sony para apresentar uma versão do aranhaverso, ou seja, simplesmente lindo.

Sobre a história, a Riot não dá ponto sem nó, por anos ela vinha atiçando o imaginário dos jogadores sobre a origem de duas das personagens mais queridas dos gamers, estamos falando de VI e Jinx, que até antes do game só se tinham desconfianças de seu elo de sangue, como irmãs, mas que na animação tudo isso foi revelado, de forma genial e muito gostosa de se ver. E como pano de fundo temos Piltover e as vielas, dois extremos comuns em muitas histórias, mostrando o lado bom do progresso com as pessoas vivendo um mundo cheio de oportunidades e o lado nem tão bom assim, que sobrevive de delitos e violações, além de operações sujeitas a todo tipo de coisa para passar desapercebida pela forma policial de Piltover, os Defensores.

 

[the_ad id=”1003″]

 

E é graças a essa força que nossas protagonistas são apresentadas a um dos personagens que, apesar de pouco tempo de tela (só apareceu no primeiro ato), é um dos personagens que mais me cativou fora os já conhecidos do jogo. E antes que me perguntem, sim, temos muito mais que VI e Jinx nos 9 episódios da série.

Essa história mostra a origem do título da série, que não está ali sem motivo, o arcano é um dos produtos que desenvolvem a história, em ambos os lados, que buscam formas de se aproveitar desse pequeno poder mágico capaz de milagres nas mãos certas, mas também capaz de começar uma guerra sangrenta nas mãos erradas.

E como toda série que deseja sobreviver a mais que uma única temporada, Arcane termina sua jornada no terceiro ato com aquele desejo de quero mais, já confirmado pela Riot e Netflix, que deve chegar em algum momento de 2022.

 

Classificação: 5 Patas

A primeira temporada de Arcane se encontra disponível no catálogo da Netflix.

By Mácio Lima

Um amante da cultura Oriental, apenas isso.