Bird Box | Crítica

Seria mais um filme assustador pós-apocalíptico?!

Baseado num livro homônimo, esse novo filme, que a nossa querida amiga Netflix nos disponibilizou recentemente, traz como protagonista a Malore, interpretada pela premiada atriz hollywoodiana, Sandra Bullock (Oito Mulheres e Um Segredo). E a atuação dela é, sem dúvida, o maior destaque positivo no longa. Mas existem outros destaques nessa recente obra (e nem todos são positivos).

O filme começa nos mostrando a Malore (Sandra Bullock) e duas crianças se preparando para uma jornada de barco em um rio revolto, pois a promessa de um local seguro os aguarda no final dessa jornada. E lugares seguros são raros no mundo em que estão vivendo. E, talvez, a maior dificuldade que precisam superar é que precisam fazer essa viagem com os olhos vendados.

Ao longo do filme acompanhamos essa viagem rio abaixo, enquanto, através de flashbacks, o filme procura nos explicar como a situação chegou àquele ponto. Por que os três andam de olhos vendados? Ela é a mãe das crianças? Nessa conferida que damos no passado vemos quando tudo começou. As pessoas começam a cometer suicídios, sem nenhuma explicação e o número de pessoas que se matam cresce de forma muito rápida.

Outro destaque positivo é a atmosfera tensa que a produção cria. O clima de suspense é grande, pois os sobreviventes precisam garantir suprimentos, se organizar e confiar uns nos outros, com a dificuldade de não se conhecerem previamente. Mas não cheguei a sentir medo, ou me sentir assustado em nenhum momento do filme. Apesar do longa não estar classificado como terror, a descrição promete “Cenas e Momentos sinistros, arrepiantes e assustadores”. Achei o drama muito mais presente no longa.

A forma como os sobreviventes descobrem que apenas vendando seus olhos serão capazes de sobreviver a seja lá o que for que está causando esse surto no mundo, não me agradou tanto. Achei tudo muito rápido e fácil.

Para alertar o perigo iminente eles passam a usar pássaros, pois percebem que os mesmos, ficam agitados quando o “mal” se aproxima. Daí surge o nome do filme, pois eles passam a usar os pássaros em uma caixa quando precisam sair e Bird Box, traduzido para o nosso português, seria justamente: Caixa de Pássaros.

Com atuações pouco convincentes, com poucas exceções, como a de Sandra Bullock e a de Sarah Paulson (American Horror Story), que interpreta a irmã da Malore, por exemplo, o filme acaba perdendo também esse quê de suspense e terror que poderia explorar.

O filme vem sendo muito comparado ao recente filme, também lançado este ano, Um Lugar Silencioso. Existem semelhanças sim, em um os sobreviventes são caçados por criaturas cegas, porém com uma audição aguçada. Já no outro os sobreviventes é que são forçados a não verem o que estão “combatendo”, o drama familiar “pós-apocalíptico”, entre outros, são coisas que fazem com que os dois sejam comparados. Recomendo que assistam aos dois filmes, mas se me dissessem que só podem/querem ver um dos dois… na minha opinião Um Lugar Silencioso é melhor.

Classificação: 

Repara aí no trailer dessa produção:

 

O que você achou dessa crítica??? Falem aí se concordam ou não nos comentários!

Curta a nossa página no Facebook!!!

Siga-nos no Instagram e no Twitter !!!

E continue acessando o nosso Site.

2 Replies to “Bird Box | Crítica”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *