Bumblebee (2018) | Crítica

Tentativa de reiniciar os filmes de Transformers parece ter dado certo…

O filme Bumblebee começa com a guerra entre os Autobots e os Decepticons no planeta natal dos robôs, Cybertron.  O líder dos Autobots, Optimus Prime, envia o soldado B-127 (que mais tarde será conhecido como Bumblebee) para a Terra com a missão de protegê-la, para que sirva, futuramente, como a nova base da resistência Autobots.

Mas a missão acaba não sendo tão simples assim, no fim das contas. Chegando em  nosso planeta na década de 80 (pura nostalgia), Bumblebee encontra uma certa resistência não só de Decepticons que conseguem rastreá-lo e acabam seguindo-o até aqui, mas também dos humanos que temem o desconhecido. Nesse filme o simpático Bee, que ainda não se transforma em um Camaro e sim em um Fusca amarelo, encontra muitas dificuldades, inclusive é nesse filme que nos contam como ele perde a voz.

Mas é na terra também que Bee recebe ajuda de Charlie (Hailee Steinfeld). A menina que, claramente, sofre com a perda de um ente querido e tem certa dificuldade de se socializar, após realizar alguns reparos no fusca acaba encontrando nele uma nova e grande amizade.

Por falar nisso o tema “amizade” parece estar em alta em Hollywood e também está presente no filme WiFi Ralph: Quebrando a Internet (Veja a crítica). Depois podem contar se viram semelhança.

As cenas de lutas dos robôs estão bem legais nesse filme e conta com bastante explosão, mas comparando com os filmes de Transformes da geração de Michael Bay, ficou bem mais razoável. As cenas de ação deixaram de ser a parte principal do filme, agora com a direção de Travis Knight (Kubo e as Cordas Mágicas), que prioriza uma história mais focada nos protagonistas (Bee e Charlie) e no desenvolvimento dos mesmos.

Com uma trama simples, mas que foi bem desenvolvida, e por ser um filme de “origem” do personagem acabou sendo suficiente, Bumblebee vem agradando o público e a crítica. A ideia de fazer com que a história se passe nos anos 80 também foi boa. Fazer um bom filme/série nessa década vem sendo sinônimo de sucesso (que o diga Stranger Things). Só o fato de poder usar as músicas dessa década como trilha sonora atrai muitos fãs dessa época.

Classificação: 

Segue trailer legendado pra quem quiser dar uma conferida antes de assistir:

O que você achou dessa crítica??? Deixem os seus comentários logo abaixo…

 

Curta a nossa página no Facebook!!!

Siga-nos no Instagram e no Twitter !!!

E continue acessando o nosso Site.

2 Replies to “Bumblebee (2018) | Crítica”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *