Como Cães e Gatos 3: Peludos Unidos!: Franquia promete agradar ao público infantil, adulto e famílias

A franquia Como Cães e Gatos, da Warner Bros. Pictures, completa quase duas décadas em 2020. O primeiro Como Cães e Gatos, lançado em 2001, foi sucedido em 2010 por Como Cães e Gatos 2: A Vingança de Kitty Galore e, agora em 2020, no último dia 22 de outubro, chegou aos cinemas brasileiros a nova aventura Como Cães e Gatos 3: Peludos Unidos!.

Apoiadas sob o gênero da comédia e da ação, as produções protagonizadas por animais os colocam em “papéis humanos” à frente de grandes investigações, com um inimigo a ser vencido e a necessidade de trabalhar em equipe e ter muita astúcia para solucionar os casos.

De 2001, quando foi lançado o primeiro filme da franquia, a 2020, os espectadores poderão observar diferenças na parte de animação digital, que incluem a aplicação de tecnologias das décadas de 1940 e 1950, além da reunião dos personagens já conhecidos, criados por John Requa e Glenn Ficarra, com novos e excêntricos personagens, como o papagaio Pablo, dublado por Hercules Franco, além de cobras, lagartos e outros.

Para o diretor Sean McNamara, que admira os primeiros títulos da franquia, Como Cães e Gatos 3: Peludos Unidos! é um filme de aventura e quem ama animais vai adorar. Não há nada mais divertido do que assistir cães e gatos e outros animais conversando e estarem em guerra e serem heroicos e tentarem salvar o mundo. Todos nós olhamos para nossos próprios animais de estimação e pensamos que há algo mais acontecendo, certo? Toda uma vida secreta que é tão divertida de imaginar e uma grande fuga. E há outra dinâmica familiar e uma aventura humana acontecendo também, com a qual todos podemos nos relacionar e nos divertir“, revela.

A dinâmica entre cães e gatos sempre provocou fascínio e o público poderá conferir nas telonas como esses bichinhos podem agir de forma colaborativa, apesar do conflituoso sentimento de amor e ódio que abrange as espécies. Gwen, a gata, e Roger, o cachorro, dublados por Aline Ghezzi e Renan Freitas, respectivamente, formam a dupla de agentes secretos que prometem apaziguar a hostilidade entre as espécies, fortemente observada no segundo filme da franquia.

O produtor Andrew Lazar, que acompanha a franquia desde o seu início sintetiza seu sentimento com o novo longa e suas novidades. “Adorei a oportunidade de mostrar a aliança entre cães e gatos, que eles podem trabalhar juntos, o que eu acho uma metáfora maravilhosa para os tempos em que vivemos agora. Pessoas assim como animais podem trabalhar juntos se eles se empenharem nisso. E nos divertimos muito introduzindo toneladas de animais diferentes – aranhas, um lagarto, cobras e muito mais. Isso é o que realmente me entusiasmou, a ideia de ampliar o universo“, diz.

Sinopse: Já se passaram 10 anos desde a criação da Grande Trégua, um elaborado sistema de vigilância conjunta de espécies projetado e monitorado por cães e gatos para manter a paz quando surgem conflitos. Mas quando um vilão tecnológico invade as redes sem fio para usar as frequências ouvidas apenas por cães e gatos, ele as manipula para o conflito, e a batalha mundial entre cães e gatos ESTÁ DE VOLTA. Agora, uma equipe de agentes inexperientes e nunca testados terá que usar seus instintos animais à moda antiga para restaurar a ordem e a paz entre cães e gatos em todos os lugares.

O elenco de dubladores brasileiros conta com Renan Freitas (Roger), Aline Ghezzi (Gwen), Hercules Franco (Pablo), Isabelle Cunha (Zoe), Dudu Drumond (Max), José Leonardo (Ollie), Eduardo Borgerth (Velho Ed), Malta Júnior (Schnauzer), Oziel Monteiro (Zeek), Marcio Simões (Buck), Isis Koschdoski (Suzan) e Jackie Melo (Tarântula).

Veja outras críticas nossas:

A Warner Bros. Home Entertainment apresenta uma produção de Mad ChanceComo Cães e Gatos 3: Peludos Unidos!. O filme conta com distribuição da Warner Bros. Pictures em territórios selecionados e estreou no dia 22/10 nos cinemas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *