Desejo Sombrio – 1º Temporada (2020) | Crítica

A série mexicana, Desejo Sombrio adentrou na Netflix no dia 15 de julho e já se tornou a primeira na lista de visualizações do streaming. Confira prévia:

Se você é amante de mistérios, quebra cabeças, romance, traições, te convido a assistir Desejo Sombrio, a produção é protagonizada por Maite Perrone (Rebelde), juntamente com Jorge Poza, Regina Pavon, Alejandro Speitzer e Erik Hayser e chega, chegando no quesito erotismo e mistério.

A trama conta a história de Alma (Maite Perrone), esposa, professora, advogada, mãe, “recatada e do lar” casada com o Juiz Leonardo Solares (Jorge Poza) , conhecido por ser um sujeito “irrepreensível”, a famigerada família comercial de margarina. Porém, Alma, desconfia que o marido está a traindo com sua assistente, e em um final de semana com sua melhor amiga Brenda (Maria Fernandes Yepes), entre festa e bebidas, acaba se envolvendo com o jovem misterioso Dario (Alejandro Speitzer). A partir deste dia tudo a sua volta começa a desmoronar, sua melhor amiga é encontrada morta e o jovem Dario não a deixa em paz. Seu cunhado Esteban Solares (Erik Hayser) acredita que a sua amiga foi assassinada e começa uma busca de provas e evidências, o que faz com que verdades venham à tona, segredos serem revelados e pontos soltos começam a fazer sentido para Alma, que se ver perdida sem saber em quem acreditar.

Em Desejo Sombrio o mistério está sempre no ar, as histórias vão se desenrolando lentamente e a cada episódios, você atribui uma pessoa como vilã/vilão, num episódio depois você já não tem certeza porque “Nada é o que parece!” e isso se dá de maneira tranquila sem comprometer a trama, em episódios de no mínimo 30 min. Com cenas sensuais em todos os episódios, eles abusam do erotismo e nudez, os desejos escondidos foram aflorados, revelados, afastando o pudor que os personagens “aparentavam” ter.

Desejo Sombrio/Netflix – Reprodução

A série retrata assuntos importantíssimos, um deles é o feminicídio. A protagonista, é professora e está justamente falando sobre este assunto, e é mostrado que mesmo com todo o conhecimento do assunto sobre os abusos e relacionamentos tóxicos que uma pessoa pode enfrentar, uma mulher pode acabar passando por isso. Também falam sobre suicídio, a imagem da Brenda fazendo um corte abaixo do seu punho é mostrada constantemente, o que para alguns pode ser uma fonte de gatilho. Também abordam o tema corrupção, retratando um esquema de corrupção, e o quanto os desdobramentos pode afetar a vida de pessoas inocentes.

O final do programa deixa uma mensagem muito relevante. A necessidade afetiva é o que controla muitas vezes a vida das pessoas, especialmente das mulheres. Culturalmente falando se a mulher não estiver “bem casada” ela não está feliz, o que nos faz refletir sobre essa cobrança excessiva e equivocada, que nos mata, não só o físico, mas também nas emoções. 

Diante disso tudo, Desejo Sombrio me surpreendeu positivamente, os inúmeros Plot twist deixam o telespectador um pouco zonzo, mas é compensado pela sensação de que tudo pode acontecer e que o final ainda não está certo, o que nos deixa com vontade de assistir até o final.

Classificação:

Veja outras críticas nossas relacionadas à produções da Netflix:

A primeira temporada de Desejo Sombrio chegou a Netflix no dia 15 de julho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *