Eu Nunca… – 1º Temporada (2020) | Crítica

“As vezes podemos contar uma história de dor e superação, com certa irreverência, e esse ‘mix’, é possível em boas obras”

Mindy Kaling é comediante, roteirista e produtora americana, conhecida pelos trabalhos na série The Office, hoje presente na GloboPlay, e de maneira irreverente, a multitalentosa artista encontrou em sua vida, mais precisamente em sua adolescência, a oportunidade de contar passagens, momentos engraçados. E no dia 27 de abril, chegou a Netflix a série Eu Nunca… ou Never Have I Ever, que traz uma ótima mistura de drama ‘teen’ e comédia. Confira prévia legendada:

 

A série nos conta os problemas da adolescência de Devi (Maitreyi Ramakrishnan) – Ohhh!!! fase difícil, a rebeldia, os hormônios -.Eu Nunca… tem clichês típicos de programa criados nesse sentido, como a busca pela tão querida “popularidade”, ou a rivalidade sem sentido; ou quem sabe, o velho triângulo amoroso e sim; os conflitos de personalidade. Mas a forma como esses fatores são tratados, trabalhados na série é o grande ‘xis’ da questão. Com uma visão hilária, mas realista, envolvendo o drama familiar no tom certo, o programa nos conduz a bons momentos cômicos, bem como a reflexão sobre os nossos atos e dores que passamos.

As atitudes que Devi tem são explicáveis, afinal, apenas mostram sua indecisão e impulsividade com a perda recente de seu pai. A adolescente é um furacão de acertos, erros – conscientes e inconscientes -, com familiares e amigas – Eleanor (Lee Rodriguez) e Fabíola (Ramona Young) -, mas não seria tudo isso, VIVER?. E pro caldo engrossar, adicione a essa confusão, uma paixão arrebatadora de Devi por Paxton (Darren Barneto), o garoto mais bonito da escola. Será isto uma fuga dos seus problemas? A protagonista mostra um lado muito humano, real e que dificilmente veremos em séries do gênero.

Eu Nunca…/Netflix – Reprodução

A série tem uma qualidade muito interessante, envolvendo vários arcos e sub-arcos apaixonantes, e com o plus, contar com um bom elenco, o que já denota a boa construção do programa. Com destaque para Ben (Jaren Lewison) , rival de Devi, que poderia facilmente ser chamado de ‘chato’ e ‘convencido’, e apesar de ter ‘tudo’,lhe falta o mais importante, o amor de seus pais, por detrás da máscara de garoto rico e inteligente, ele esconde sua carência de atenção e amor. Bem como o dee Poorna Jagannathan, a mãe da Devi. Uma matriarca indiana conservadora, fruto de uma outra geração, que não está propensa a demonstrar fraquezas, rígida e muitas vezes incompreensiva com filha.

Eu nunca… chegou sem pompas, sem grandes acenos dentro do streaming, mas com sua linguagem atual, dinâmica, rica e multifacetada, simplesmente encantou. É claro que o programa possui lá as suas imperfeições, mas as premissas criadas, foram solucionadas de um modo assertivo, e engraçado. As vezes podemos contar uma história de dor e superação, com certa irreverência, e esse ‘mix’, é possível em boas obras.

Classificação:

Veja críticas de algumas das produções ligadas a Netflix:

A primeira temporada de Eu Nunca… encontra-se no catálogo da Netflix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *