Japão Submerso (2020) | Crítica

A primeira coisa que vale a pena pontuar sobre Japão Submerso (Japan Sinks) é como os terremotos não são o foco principal do anime. Se você estava esperando um anime sobre “desastres naturais” provavelmente ficará desapontado. A série aborda explicitamente temas relativos ao Japão, como culto, identidade cultural e racismo. Este anime em todos os momentos mostra pequenas escolhas, e como isso sempre pode causar grandes consequências. Os desastres são apenas um pano de fundo onde esses temas podem ser evidenciados  para contar uma história.

Japão Submerso/Netflix – Reprodução

No Japão, seguimos uma família durante um período de sofrimento aparentemente interminável, tudo desencadeado por alguns terremotos gigantescos. Não há muito a dizer sobre essa família, porque eles são mais baseados nos papéis arquetípicos de uma família moderna, Ayumu é uma personagem que parece ter dificuldade em se adaptar a tudo que está acontecendo ao seu redor, contudo no decorrer da trama, há um enorme desenvolvimento na personagem, à medida que a história continua e que há mais dor, ela continua a permanecer forte.

Japão Submerso/Netflix – Reprodução

Seu pai é um personagem muito forte, ele assume o papel de protetor de toda sua família. O mesmo vale para sua mãe, ela também é outra personagem forte que faz o que pode para proteger sua família.

Go também é um ponto forte para sua família, através de seu personagem ele nos mostra os eventos acontecendo através de olhos mais jovens. Os personagens secundários também foram bem roteirizados,  nos dando outra visão das emoções e crenças para a situação em questão.

A história se baseia na capacidade da família em seguir em frente, e o quanto eles tem que lidar com as perdas que os acompanham durante toda a jornada em busca de um local seguro. Pode até parecer que os personagens não “sentem” essas perdas, mas o que é retratado vai muito além disso, eles sequer têm tempo para lamentações, pois precisam sempre se manter fortes e permanecer em frente, os únicos momentos de demonstração de apego aos momentos que estão vivenciando é protagonizado pela mãe, com seu costume de registrar os momentos agradáveis.

Japão Submerso/Netflix – Reprodução

A direção de Masaaki Yuasa como sempre é incrível, aqui diferente das suas outras animações, tem seu foco mais na amplitude de seus cenários, que além de muito bonito, são assustadores e angustiantes pela belíssima representação do desastre. O estilo da animação dos personagens é fraco. Na maior parte do anime, eles são desenhados bem, mas poderiam definitivamente ter sido melhor projetados. A música foi um dos pontos altos da série, ela foi bastante emocional quando precisou e mais leve em momentos mais brandos.

Japão Submerso/Netflix – Reprodução

Comparado com outros animes da temporada até agora, eu gostei muito de Japão Submerso. Para mim, as maiores desvantagens do anime são apenas algumas cenas com roteiros fracos e a animação dos personagens, mas se você puder olhar além disso e ver os bons elementos da série, é uma obra bastante agradável. Com certeza esta é uma série que eu assistiria novamente no futuro.

Japão Submerso/Netflix – Reprodução

Esse definitivamente é um anime que eu recomendaria que assistissem, a obra é bastante intensa e repleta de emoção, e uma obra sempre é boa quando ela consegue trazer além da tela toda a intensidade e emoção a que se propôs.

Classificação: 

Veja críticas de algumas das produções ligadas a Netflix:

O longa animado Japão Submerso chegou a Netflix no dia 10 de abril de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *