No primeiro ano, a desiquilibrada série Netflix Locke & Key demonstrava certo entusiasmos e deixava ligeiramente uma boa impressão no público do que estaria por vir, caso renovada. E isso não foi difícil de acontecer. Mantendo os mesmos acertos, e, infelizmente, os mesmos erros, o programa baseado nos quadrinhos da IDW Publishing procurou “virar a chave” e novos conceitos em sua inédita temporada. Mas será que isso, de fato, aconteceu?

Antes de encontrar uma expansão literária, uma maior compreensão do universo sombrio da obra, o novo ano da série Locke & Key voltou algumas casas no tabuleiro, revelando, portanto, as suas próprias origens, tentando explicar os principais dilemas do programa e a intrigante história da família que dá nome a série. O que, de certa forma, é uma decisão acertada dos showrunner’s Carlton Cuse, Joe Hill e Meredith Averill. Afinal, isso pode reverberar no futuro da franquia nas telinhas.

Já por outro lado, o seriado deixou algo para trás durante esse processo. Normalmente, em Locke & Key é observado um comprometimento narrativo com um perfil iconográfico do suspense – inclusive com aspectos basilares do terror – e essa nova proposta opta pelo tom aventureiro no programa. Logo é sentido um decréscimo do clima sombrio instaurado nos primórdios do programa., o que pode comprometer a experiência do público e suas expectativas.

Demonstrado o principal erro da série, tão logo, é importante oferecer uma atualização sobre o elenco e demais conceitos técnicos. Nesse sentido, os jovens astros estão crescendo e criando certo interesse nos espectadores Eles não são tão simples assim, o que é bom. A Kinsey de Emilia Jones, por exemplo, compreendeu a sua própria existência no universo. A atriz passou a compreender melhor a sua personagem, o que a tornou ainda mais interessante na trama. E por fim, a produção caminha para solucionar o problema do chamado “elefante na sala”, mesmo que de maneira tardia. A mãe dos Lockey, Nina (Darby Stanchfield) promete ser mais inclusa num próximo ano – Sinceramente, as vezes ficou a impressão de que eles não sabiam o que fazer com a personagem.

Sobre as categorias técnicas, o programa Netflix mantem a sua boa marca. Com uma trilha sonora, edição e mixagem de som novelados “por cima”, a série tem em sua fotografia o destaque. Fazendo-se por necessário alguns ajustes em seu roteiro que transmite certo desequilíbrio, Locke & Key é um excelente acerto de adaptação advinda dos quadrinhos, com espaço no streaming.

Em suma, o programa Netflix conseguiu evoluir em muitos aspectos nesse novo ano. Situações que eram tratadas como delicados ainda na primeira temporada, se reinventaram e ganharam ajustes necessários, porém, em certos pontos positivos do passado houve nitidamente um decréscimo, tornando o programa em algo desarmônico, mas passível a uma evolução ainda mais positiva no futuro.

 

Classificação:

Veja também as críticas de:

As duas primeiras temporadas de Locke & Key estão disponíveis no catálogo da Netflix. Ainda sem data, a série ganhará um novo ano em 2022.