Mulher-Maravilha 1984: Por que os filmes de Diana se passam antes da Liga da Justiça? Diretora responde

O primeiro filme solo da Mulher-Maravilha se passou na Primeira Guerra Mundial, a esperada sequencia, ocorrerá em 1984, ambos, propositalmente, lançados em períodos anteriores na linha temporal de Liga da Justiça, mas por que?

Pensando nisso, o Comic Book fez esta pergunta a diretora Patty Jekins e ela respondeu. Confira:

Há duas coisas. Em primeiro lugar, sou fã de muitos gêneros diferentes de filmes de super-heróis“, explica Jenkins. “Em segundo plano, gostaria utilizar o passado para representar metaforicamente o presente, construindo a personagem até os atuais dias, até o encontro com os demais heróis“, esclareceu a diretora do filme.

Ainda durante a entrevista, surgiu novas perguntas à cineasta, que não pestanejou e respondeu a todas. À começar de como os fãs poderão enxergar o vilão no filme, como alguém misógeno e atual no mundo:

[1984] se conecta em grande estilo”, continua Jenkins. “Curiosamente, aqui estamos nós de novo; num círculo, aparentemente sem fim. As mulheres continuam a luta para se mostrarem independentes e fortes, todavia continuam sendo tratadas como um subgênero, então é muito evocativo para o que está acontecendo agora. Logo, veremos isso no longa“.

Sobre a caracterização e a escolha de um ano em específico para uma sequencia, Jekins deixou que a assessora de imprensa da unidade do filme, Lee Ann Muldoon falasse sobre o assunto.

Por que 1984? A América estava no auge de seu poder e orgulho”, explica Muldoon. “Então, Consumismo,riqueza, arte, glamour, música, até violência … tudo estava em excesso. Então, a América estava em seu auge em 1984, foi uma década de ganância e desejo, um tempo de necessidade e muito mais. A humanidade estava no seu melhor e no seu pior. E 1984 foi um ano de lições aprendidas. Lições para a deusa guerreira Diana e também para todos nós“, esclareceu a produtora.

Jenkins voltou ao final da entrevista, e argumentou que para ela é uma grande honra retratar a personagem que cresceu admirando, na pele Lynda Carter.

“Este é o sucesso do modo de vida da humanidade moderna e como é que ela coloca a Mulher Maravilha no centro disso? Foi sobre isso que eu fiquei empolgado e a história começou a se desenvolver realmente prestando-se a isso”, Jenkins explica, acrescentando: “Olha, é uma versão muito diferente dos anos 80, mas eu cresci assistindo a Mulher Maravilha, amando a Mulher Maravilha, então também há algo tão americano dos anos 70 e 80 sobre a Mulher Maravilha que esta é nossa própria versão, mas adoro fazer parte disso“, encerrou a entrevista, a cineasta Patty Jekins.

Veja também:

Sinopse: “Como arqueóloga, a Diana que trabalha no museu Smithsonian, é uma Mulher-Maravilha que tem super poderes extraordinários, podendo ser a heroína mais forte do mundo. Em 1984, a Mulher-Maravilha está em um desesperador perigo mortal na face de uma enorme conspiração do empresário Max, que canta alto para satisfazer os desejos das pessoas, e uma inimiga misteriosa, a Mulher-Leopardo (Kristen Wiig). A Mulher Maravilha pode impedir o colapso do mundo sozinha?”.

Com classificação etária para maiores de 13 anos, sob o comando de Patty Jenkins, e roteiros de David Callaham e Geoff JohnsMulher-Maravilha 84 tem em seu elenco: Gal Gadot, Chris Pine, Kristen Wigg, Pedro Pascal, Natasha Rothwell, Ravi Patel, Gabriella Wilde, Connie Nielson e Robin Wright.

Por enquanto, o filme está agendado para 15 de Outubro nos cinemas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *