A Mulher na Janela: Netflix negocia direitos do último suspense da Fox

O novo filme de suspense com Amy Adams (Liga da Justiça, A Chegada) ficou perdido em meio ao imbróglio da aquisição do tradicional Estúdio 20th Century Fox pelo conglomerado Walt Disney Company e agora tem a chance de lançamento global direto pelo grande serviço de streaming do momento, a Netflix.

O complicador é que o filme de suspense é visto como inadequado para lançamento no streaming Disney Plus, o que facilita a negociação com o serviço concorrente. Assim como Os Novos Mutantes e outros filmes que estavam em produção quando iniciaram as negociações entre os estúdios da raposa e do ratinho, A Mulher na Janela teve as filmagens encerradas em 2018 e até agora não teve seu lançamento. Havia uma previsão de chegar aos cinemas esse ano, mas a pandemia atrapalhou tudo. O suspense é o último filme do finado estúdio ainda sem previsão de lançamento. É nesse contexto que o Netflix tenta chegar a um acordo para garantir o lançamento em seu serviço para o mundo inteiro. Confira o trailer instigante:

O suspense, adaptado do romance homônimo escrito por A.J. Finn e dirigido com requinte por Joe Wright, de Anna Karenina e O Destino de uma Nação, revisita e atualiza o estilo sombrio do clássico diretor Alfred Hitchcock, com vários elementos de uma de suas grandes obras, o filme Janela Indiscreta (1954). Pelo trailer, se percebe uma trama que promete muitas reviravoltas e tensão constante. Tal complexidade atraiu um elenco respeitável, além da protagonista interpretada por Adams. Anthony Mackie (Capitão América – Guerra Civil e Vingadores Ultimato), Gary Oldman (O Destino de uma Nação, Planeta dos Macacos – O Confronto), Julianne Moore (Para Sempre Alice e Magnólia), Jennifer Jason Leigh (Os Oito Odiados e O Maravilhoso Agora).

Vejam mais de nossas críticas:

Na trama, Anna Fox (Adams) é uma psicóloga com um forte trauma de agorafobia, que tem pavor de sair de casa. Mesmo assim, ela faz amizade com a vizinha Jane (Moore), que mora do outro lado da rua. Ou, assim faz pensar. Percebendo algo estranho, a psicóloga tenta acompanhar a vida de seus vizinhos e testemunha algo terrível. Ou, parece que não. É o efeito dos remédios. Os vizinhos são o que parecem ser? O mistério é intrigante. Que seja lançado, afinal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *