Sideral – 1º Temporada (2020) | Crítica

Chega ao fim a primeira temporada da série Stargirl, vulgo, Sideral, mostrando vários mistérios solucionados e, como é de praxe, vários ganchos para a segunda temporada. Confira prévia:

A série já começa de forma frenética, no passado, com uma batalha entre a Sociedade da Justiça da América e a Sociedade da Injustiça. Essa batalha não acaba bem para a SJA e vários integrantes morrem, porém, os que sobrevivem, conseguem fugir e pegar alguns itens dos seus amigos.

Nesse contexto, vamos para o presente, onde conhecemos a protagonista, Courtney Witmore (Brec Bassinger), se mudando para outra cidade e, com o tempo, fez algumas descobertas sobre seu passado e, percebendo que teria que continuar o legado do seu pai, Pat Dugan – O antigo Starman, papel de Luke Wilson -. Paralelamente, Courtney enfrenta os desafios da idade, a escola e a sua nova vida, inclusive, designando alguns de seus amigos a assumirem o manto de  ex-integrantes da antiga SJA.

A série Sideral da CW soube mesclar a nostalgia referente aos heróis da era de ouro dos quadrinhos, com os heróis atuais, e isso serviu para os vilões também. A produção de Geoff Johns, Sarah SchechterGreg Berlanti (ambos do Arrowverse) foi, no todo, equilibrada. Nos diferentes momentos do programa, pudemos enxergar diversos sentimentos e gêneros cinemtográficos, tais como drama, alegria, descobertas, tristeza, etc ao passo que, mesmo com momentos até “clichês”, houve autenticidade, originalidade.

Brec Bassinger/Sideral/CW/Warner/DC Universe – Reprodução

Os efeitos especiais estavam OK, além da caracterização dos personagens, onde mesclava o visual dos quadrinhos com algo mais “moderno”. O que mais surpreendeu foi o aparecimento de Solomon Grundy e a incrível semelhança que ele tem, não só das HQ’s mas também dos jogos da série Injustice.

Com um final catártico, o programa também apresentou possíveis vilões para uma próxima temporada, já renovada, Penumbra (que já apareceu na série do The Flash) e Eclipso (uma versão maligna do Espectro). Acima de tudo, Sideral foi uma série que, mesmo com o básico, soube entregar uma série digna da DC.

Classificação:

Veja outras críticas nossas:

Sideral está disponível no DC Universe e na CW.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *