The God of Highschool – 1º Temporada (2020) | Crítica

Enfim, um dos animes mais esperados dessa estação (no Japão) chegou ao final da sua primeira temporada.

The God of Highschool foi um dos animes mais esperados do verão japonês e, não à toa, seu manhwa (mangá coreano) ainda faz sucesso na Ásia.

A história do anime se passa nos dias de hoje e fala sobre um grupo de pessoas que montam um torneio de artes marciais somente para alunos do ensino médio, onde quem vencesse, teria como prêmio, a realização de um desejo a sua escolha.

The God of Highschool – Reprodução

Nesse contexto, Jin Mori, Han Daewi e Yo Mira (protagonistas da trama), coincidentemente se conhecem durante um assalto na rua.

Eles passam a interagir mais, a partir do momento que entram no torneio e isso faz com que a amizade, apesar de alguns conflitos, aumente mais ainda gerando situações um tanto quanto inusitadas.

Paralelo a isso, nos bastidores do torneio é mostrado que o evento não é somente para ver qual estudante é mais forte e sim, para achar “a chave”, ou seja, dentre os participantes há um que tem um “poder” que irá salvar o mundo de uma grande ameaça. Ameaça esta, que vai aos poucos se revelando, seja indiretamente, no começo e mais diretamente nos últimos episódios.

The God of Highschool – Reprodução

Além disso, há, também, o conceito de Charyeok, que é, algo semelhante ao stand (JoJo’s Bizarre Adventure) que é uma entidade na qual a pessoa pede um pouco do poder emprestado (semelhante ao que Naruto faz, no começo, com a Kyuubi) e mostra nossos heróis e até alguns vilões, conseguindo dominar essa técnica.

Para quem acompanhava o manhwa, o anime foi bastante corrido e bem modificado, porém não chegou a mudar a essência e a qualidade da trama.

Além disso, a trilha sonora é muito boa, onde as músicas de ação deixavam as cenas de luta mais empolgantes. A abertura também é muito boa e empolgante.

As cenas de luta são um caso à parte, pois é mostrado uma grande variedade de artes márcias. Desde as tradicionais coreanas (Taekwondo, Taekkyeon) a karatê, kendô, tai chi chuan e até brazilian jiu jitsu, mostrando coreografias, em alguns casos até realistas.

O fim do último episódio já nos deu pistas do que está por vir na segunda temporada, agora é aguardar.

Classificação: 

Veja outras críticas nossas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *