The Ranch – 8ª Parte (2020) | Resenha

“Nunca foi tão aconchegante, divertido e emocionante conhecer Garrison”

Após quatro temporadas, oito partes, oitenta episódios, chegou ao fim a série da Netflix, The Ranch. Estrelada por Ashton Kutcher, Elisha Cuthbert e Sam Elliott, esta comédia traz o melhor do gênero para as nossas casas. Talvez, por parecer conosco, por apresentar sentimentos comuns, ou lembrar parentes nossos. Com ótimas atuações, mesmo ante o imprevisto, a série evoluiu, e se encontrou, criando possibilidades e certamente, deixará saudades. Confira prévia da oitava parte:

Acompanhando a nossa história, sabe-se dos problemas enfrentados pela família Bennett, Colt (Ashton Kutcher) e Abby (Elisha Cuthbert) não estavam bem, Beau (Sam Elliott) apesar de conhecer o seu novo amor, Joanne (Kathy Baker), teria que ter força o suficiente para continuar ao seu lado, dividir as angustias do recém-descoberto Alzheimer da parceira, as finanças de ambas as fazendas, Rio de Ferro e o Rancho dos “Irmãos Bennett”, não se encontravam bem e… Uma das peças mais importantes para a morte do Galo (Danny Masterson), Nick foi assassinado, lançando a polícia no encalço da família Bennett. Divididos, pertos da falência, e da cadeia, esse poderia ser o destino da família que aprendemos a amar em Garrison/EUA.

Ao longo dos 10 bons episódios, todas as perguntas serão respondidas, dilemas, conflitos serão solucionados, sempre com o ‘time’ certo para o humor, com mesclas importantes para o drama. Obviamente, guardando o melhor para o final. The Ranch possui um roteiro nem sempre previsível, e isso pudemos observar durante toda a jornada. A saída traumática de Danny Masterson (problemas judiciais) colocou a série em cheque, mas as atuações de nossas estrelas e a criatividade de Don Reo e Jim Patterson (co-produtores executivos de Two and a Half Men) para se criar novas possibilidades para a série, foram os alicerces da trama.

The Ranch/Netflix – Reprodução

E apesar de todos estarem bem, Kutcher e Cuthbert, o destaque do programa vai para Sam Elliott. Em meio à confusão que é a vida, ele manteve Beau perfeito, até a evolução do personagem foi algo maravilhoso, sem perder a sua essência, simples e dentro da personalidade que o próprio Beau permite. Um homem ranzinza, ‘bruto’, de poucos sorrisos, mas com um coração incrível debaixo de todo aquele bigode. E isso, aconteceu com toda a série. The Ranch enxergou na sua essência, nas suas fraquezas, nas suas forças um futuro, potencializando o conceito da mescla perfeita entre humor e drama para um sit-com.

Sem deixar pontas importantes de fora, com arcos assumidamente bem conclusos, cenas bem dirigidas e mesmo deixando saudades, The Ranch chegou ao final. Sabe aquelas boas histórias contadas, essa foi uma divertida, agradável, aconchegante e emocionante história dividida entre o streaming, produção e espectadores. E se você ainda não assistiu, vale a pena conferir na Netflix.

Veja críticas de algumas das produções ligadas a Netflix:

The Ranch surgiu ainda em 2016 e foi finalizado em 2020. As 8 partes encontram-se no catálogo da Netflix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *