Universo Pop: A pandemia tem mostrado o nosso pior lado | Editorial

Estamos passando por uma grave crise, algo sem precedentes para a atual geração. Com o nascedouro na região de Wuhan, China; o novo coronavírus enclausurou todo um Planeta. O COVID-19 é proveniente de uma mutação genética, que segundo os especialistas, naturalmente faz parte do ciclo da natureza.

Os impactos são assustadores, seja em nossa saúde física, de familiares e amigos, ou na economia mundial. Agressivo, o vírus vitimou milhares de pessoas no Mundo todo e promete deixar um saldo ainda maior. E o nosso combate é muito simples: Lavar bem as mãos, evitar aglomerações, vivermos confinados em nossas residências, mas acima de tudo, sermos literalmente humano, solícitos e ajudarmos os próximos.

Entretanto, o comportamento de alguns integrantes de nossa sociedade assusta. O racismo ‘amarelo’, a descendentes, ou a orientais mesmo, está em pauta; num momento que deveríamos ser mais solidários. E como exemplo, segundo a Revista Marie Claire, uma jovem estagiária, a Fernanda Yumi Tagashira sofreu racismo no ambiente de trabalho por um ‘colega’. Segundo a matéria, Tagashira recebeu ‘borrifadas de álcool gel’, além de ser insultada pela sua etnia. Confira o depoimento dela:

““Estou com a coronavírus aqui do lado”, ‘olha a infectada’ e mais outros comentários infelizes que escutei. Meu nome é Fernanda Yumi Tagashira e, não, eu não sou um vírus”.

Infelizmente, casos como esse não se restringe apenas ao Brasil, atores, produtores, cineastas americanos, com ascendência oriental tem sofrido veladamente de tal comportamento inadequado e desumano [via HH].

O ator Henry Golding, uma das estrelas do próximo filme G.I. JOE: Snake Eyes, foi ao Twitter compartilhar o quão discutível é ser racista em um tempo que exige solidariedade. Confira:

Traduzindo:

Usar uma retórica perigosa para incitar o racismo não é o necessário agora. O vírus realmente não se importa de onde você vem, é imparcial para todos. Defender um ao outro nestes tempos sombrios, é a única maneira de chegarmos ao outro lado. Fique seguro”.

A estrela de Lost, Daniel Dae Kim, que foi recentemente diagnosticada com o coronavírus, fez uma anotação para apontar o quão inapropriada e cruel a retórica tem sido nas últimas semanas contra asiáticos-americanos. Confira:

Traduzindo:

As pessoas me perguntam por que fiquei calado diante dos flagrantes atos de racismo contra os asiáticos durante esse surto. A verdade é que houve tantos que foi comovente demais comentar sobre todos eles”. “ Não é preciso dizer quão abominável e subumano esse comportamento é. Infelizmente neste clima político, ainda é necessário mencionar”.

A estrela de Todos os Garotos que Amei da Netflix, a atriz Lana Condor, compartilhou uma mensagem no Twitter destacando o quão perigoso é chamar pessoas asiáticas em um momento que é francamente perturbador para todos. Confira:

Traduzindo:

Seja melhor. Acordar com seu caos é realmente um pesadelo. Por favor. Esteja seguro. Eu te amo”.

Este é um momento para não se achar culpados, mas se criar soluções, passarmos por isso junto, como sociedade. Neste período de quarentena, caro leitor, se comporte, cuide de sua família, de sua casa, de sua vida. Precisamos de união, e não segregação de qualquer tipo. Afinal, o vírus não escolhe esse ou aquele pelo biótipo, raça, cor, credo, status quo para trazer dor, pelo contrário, apenas encontram hospedeiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *